Av. Brasil, 694 - Centro Faxinal - Pr

prefeitura@faxinal.pr.gov.br

(43) 3461-8000

×

preos

Ata do Copom projeta inflao menor para 2014

Quinta-feira, 05 de junho de 2014

Última Modificação: 05/11/2018 13:50:10


Ouvir matéria

Comitê de Política Monetária também reduziu sua previsão para o câmbio, para R$ 2,20

O Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2014 no cenário de referência em relação ao valor considerado na reunião de abril. A estimativa, no entanto, permanece acima do centro da meta de 4,5% fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para 2015, no cenário de referência, a projeção de inflação também recuou em relação ao valor considerado na reunião de abril, mas também está acima do centro da meta.

No cenário de mercado, a projeção de inflação para 2014 também caiu em relação ao valor considerado na reunião de abril, porém permanece acima da meta para o IPCA. Para 2015, neste cenário, a projeção de inflação foi mantida "relativamente estável" e continua superior ao valor central da meta.

No Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado no fim de março, o BC informou que a expectativa de inflação ao final de 2014, pelo cenário de referência, era de 6,1%, embora ainda não considerasse os juros em 11%. No cenário de mercado, a projeção do RTI para o final de 2014 era de 6,2%.

Câmbio

O Copom reduziu sua previsão para o câmbio para R$ 2,20 pelo cenário de referência. Na ata anterior a projeção era de R$ 2 30. O valor considerado para o dólar está um pouco abaixo do valor negociado no dia em que o colegiado decidiu encerrar o ciclo de aperto monetário, deixando a Selic em 11% ao ano, quando o dólar fechou em R$ 2,2330. No mercado futuro, o dólar para junho fechou no dia da reunião do Copom, na semana passada, em R$ 2,2350. Para a taxa básica de juros, o colegiado ampliou a premissa considerada de 10,75% para 11,00% ao ano em todo horizonte relevante.

O Copom voltou a informar, no trecho da ata que fala sobre a avaliação prospectiva das tendências de inflação, que considera como indicador fiscal o superávit primário estrutural que deriva das trajetórias de superávit primário, tanto para 2014 quanto para 2015, conforme parâmetros estabelecidos na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) deste ano e no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2015.

Fonte: gazeta

 Veja Também